Retrospectiva do Projeto

Em 1993, o Ministério de Minas e Energia (MME), o Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica (DNAEE), a Companhia Energética de São Paulo (CESP), a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU/SP) e a Universidade de São Paulo (USP) assinaram convênio para a elaboração, implantação e análise dos resultados de um projeto-piloto na Região Metropolitana de São Paulo. Trata-se da demonstração da estratégia energético-ambiental de aproveitamento de energia secundária do sistema elétrico interligado Sul/Sudeste/Centro-Oeste, por meio da produção de hidrogênio por eletrólise, para ser usado como combustível em ônibus de transporte coletivo.


No período de 1997 a 2000, com a participação do MME, EMTU/SP, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e recursos financeiros do Global Environment Facility (GEF), foi realizada a Fase 1 do projeto. Os resultados principais foram:

  • elaboração de estudo de viabilidade da utilização de ônibus com células a combustível hidrogênio no transporte urbano no Brasil; e
  • apresentação de proposta de projeto, Fase 2, para uma demonstração operacional de utilização de ônibus com célula a combustível hidrogênio e unidade de produção de hidrogênio por eletrólise instalada em uma garagem.

Os resultados da Fase 1 foram apresentados ao GEF e aprovados em dezembro de 1999. O convênio foi ratificado em dezembro de 2000, para início da Fase 2. Após várias tratativas entre MME, EMTU/SP, PNUD e FINEP, foram feitos os acertos para a assinatura de todos os documentos e convênios necessários para a realização do projeto.


 Cronologia

2002

  • Em 16/01/2002, foi publicada Manifestação de Interesse para avaliação do mercado e a tentativa da formação de consórcios para desenvolvimento do Projeto e fabricação dos ônibus;
  • De junho a outubro de 2002, contratação de consultoria para atualização das informações obtidas durante a Fase 1, análise dos possíveis fornecedores e estágio atual da tecnologia, a fim de embasar uma estratégia a ser adotada pelo processo de licitação;
  • De setembro a dezembro de 2002, foram feitas reuniões com fornecedores nacionais de chassis e carroceria, e com fornecedores internacionais de célula a combustível e  eletrolisador  para fomentar a formação de um consórcio capaz de fornecer os equipamentos necessários;

2003

  • Iniciaram-se as negociações com empresas detentoras de tecnologia que responderam à Manifestação de Interesse, para formar um Consórcio para o fornecimento do Ônibus a Célula a Combustível Hidrogênio e a Infraestrutura de Produção e Abastecimento de Hidrogênio.

2004

  • Foram efetuadas diversas reuniões, dando continuidade às negociações com estas empresas. Os pontos abordados nestas reuniões foram complexos por se tratar de importação de uma tecnologia nova e de acertos jurídicos de caráter nacional e internacional.

2005

  • Foi dada continuidade às negociações realizadas no ano de 2004. A partir de fevereiro de 2005, iniciou-se junto aos membros do Consórcio a negociação do Contrato a ser firmado com o PNUD. Em agosto de 2005, foi assinado pelos membros do Consórcio, o "Consortium Agreement", documento que confirma a intenção dos mesmos de participar do Projeto e estabelece as bases para o fornecimento dos ônibus e seus componentes. Na mesma época, foi feita análise e aprovação da Proposta Técnico-Comercial, apresentada pelos membros do Consórcio.

2006

  • O Contrato de Fornecimento dos Ônibus e Infraestrutura de Produção e Abastecimento foi assinado em maio de 2006 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD e pelos membros componentes do Consórcio (AES Eletropaulo. Ballard, Epri, Hydrogenics, Marcopolo, Nucellsys, Petrobras e Tuttotrasporti), firmando um cronograma de trabalho a ser seguido. O Projeto nessa fase foi dividido em duas etapas. A primeira consiste na implementação da infraestrutura de hidrogênio e a fabricação e teste de um ônibus protótipo que irá definir o projeto técnico final para os outros (até quatro ônibus). Dentro desse cronograma, foram realizadas atividades com relação ao desenvolvimento dos projetos executivos, tanto para o ônibus protótipo como para a infraestrutura de produção e abastecimento do hidrogênio. A primeira versão destes projetos foi recebida em novembro de 2006, coincidindo com o evento de lançamento do projeto, realizado em 14 de novembro de 2006.

2007

  • Iniciou-se no primeiro trimestre a construção do ônibus protótipo, em Caxias do Sul - RS,  com entregas de chassi, sistema de célula a combustível, sistema de tração (motores e controles eletrônicos) e estrutura da carroceria. A produção do ônibus ficou concluída, no modo bateria (conjunto mecânico, elétrico, eletrônico, baterias de tração e estrutura da carroceria, integrado ao chassi), tendo o mesmo sido testado em movimento, com êxito, em outubro 2007. A seguir passou-se para a fase final de montagem com a célula a combustível hidrogênio e tanques de armazenagem de hidrogênio. Também foi iniciado o processo de licenciamento da unidade de produção e abastecimento de hidrogênio, a ser instalada no pátio da concessionária do Corredor Metropolitano ABD ( São Mateus - Jabaquara) - METRA/S.A. Em maio de 2007, representantes das Autoridades Licenciadoras - CETESB, Prefeitura de São Bernardo do Campo, Corpo de Bombeiros, Petrobras e EMTU/SP, viajaram à Europa, com o intuito de visitar instalações de produção e abastecimento de hidrogênio, nas cidades de Amsterdam e Hamburgo, para se inteirar de aspectos de segurança e meio ambiente.

2008

  • No mês de julho, a construção do ônibus protótipo foi concluída e ele foi testado em movimento e aprovado com êxito no modo célula a combustível hidrogênio. A seguir, iniciou-se a fase de testes funcionais, primeiramente nas instalações da fábrica da Tuttotrasporti, em Caxias do Sul  - RS. A partir de agosto, o ônibus foi submetido a diversos testes automobilísticos para efeito de aprovação e obtenção da homologação junto aos órgãos responsáveis.
  • A licitação da obra de construção da estação de produção e abastecimento de hidrogênio, a cargo do PNUD, foi concluída em agosto. Em função desse contrato ser relativo a obras civis, bastante diferente dos demais contratos firmados pelo PNUD, houve a necessidade de adequação do contrato padrão do PNUD a este caso específico, motivo pelo qual sua redação final ultrapassou o prazo do final de ano. Em setembro, o cubículo blindado de seccionamento, parte do sistema de distribuição de energia elétrica da estação de produção, foi fabricado e entregue na EMTU/SP. Para a sua instalação, aguarda-se o encaminhamento da execução da obra da estação de produção e abastecimento de hidrogênio, realizado no segundo semestre de 2009.

2009

  • Em março, o ônibus foi transportado de Caxias do Sul para a garagem da concessionária Metra, em São Bernardo do Campo- SP, dando continuidade aos testes funcionais, os quais foram concluídos com êxito em abril.
  • A operação e a manutenção do ônibus a hidrogênio será feita pelos motoristas e equipe de manutenção da Metra - Sistema Metropolitano de Transportes Ltda., empresa que detém a concessão para operar os ônibus no Corredor Metropolitano ABD (São Mateus - Jabaquara). Para tanto, foi celebrado em junho o convênio entre a EMTU/SP e a Metra com esta finalidade.
  • O primeiro treinamento da equipe de operação e manutenção do ônibus, bem como de alguns funcionários da EMTU/SP, ocorreu nos dias 16 e 17 de abril nas dependências da EMTU/SP, ministrado pela empresa integradora de veículo. Dando prosseguimento ao treinamento, no período de 20 a 22 de maio, foi aplicado o módulo II, que focou os temas: abastecimento do veículo, procedimentos de operação e manutenção, bem como treinamento prático de direção do veículo.
  • Em maio ficaram prontas as instalações da estação provisória de abastecimento do ônibus. Foi montada uma parceria da EMTU/SP com a Petrobras Distribuidora. A Linde Gases, contratada da Petrobras, efetuou as montagens elétricas e hidráulicas. O ônibus será abastecido por meio de carretas-feixe até que a estação definitiva de produção e abastecimento fique pronta.
  • Marcando esta fase do Projeto, que consiste na conclusão da fabricação do ônibus, seu deslocamento para São Paulo e o início dos testes de verificação, houve um grande evento de apresentação do ônibus a hidrogênio, nos dias 1 e 2 de julho, nas dependências da EMTU/SP. Estiveram presentes autoridades do governo federal, estadual e municipal, representantes dos órgãos participantes (PNUD, GEF, MME, e FINEP), empresas consorciadas, fabricantes do ônibus e da estação de produção e abastecimento de hidrogênio, além de convidados. Na segunda parte do evento, houve um grande workshop, com apresentações feitas por todas as empresas participantes do consórcio, bem como dos órgãos financiadores e gerenciadores do Projeto.
  • Em julho, iniciaram-se as obras da estação de produção e abastecimento de hidrogênio. Com relação ao ônibus, os testes de verificação no Corredor Metropolitano ABD ( São Mateus-Jabaquara ) começaram no mês de outubro, sem carregamento de passageiros.

2010

  • Em março, as obras civis da estação de produção e abastecimento de hidrogênio foram concluídas. A fase atual compreende a instalação e interligação dos equipamentos de produção.
  • Os Testes de Verificação do ônibus protótipo tiveram continuidade durante o ano, cumprindo todo o protocolo de testes estabelecido. No mês de dezembro houve o início da operação comercial no Corredor São Mateus-Jabaquara, com carregamento de passageiros a partir do dia 16

2015

  • Entrega de três novos ônibus movidos a hidrogênio para o transporte público de passageiros na unidade São Bernardo do Campo. É a primeira frota desta nova tecnologia totalmente limpa que entra em circulação no Corredor Metropolitano ABD (São Mateus - Jabaquara). 
  • Os ônibus estampam a preocupação com o meio ambiente já na pintura externa da carroçaria, homenageando três pássaros que são símbolos da fauna brasileira: a Ararajuba, o Sabiá-Laanjeira e o Tuiuiú.Os veículos também não emitem poluentes nem gases de efeito estufa.